Uma família como a nossa

Em setembro de 2015, a Confraria de Nossa Senhora da Nazaré, instituição de solidariedade social do concelho da Nazaré, seguindo o apelo do Papa Francisco, decidiu aderir à Plataforma de Apoio aos Refugiados, recém-criada em Portugal por organizações da sociedade civil para dar uma resposta à crise de refugiados. Susana Zarro, responsável pelo Centro Comunitário da Confraria, ficou a cargo do projeto de acolhimento.

 

SusanaeFatima-web

“No dia 7 de março de 2016 recebemos uma família de nove pessoas, um casal com sete filhos, provenientes da Síria. Ficaram a viver, inicialmente, no nosso centro comunitário, sendo que agora já vivem numa casa que preparamos para o efeito. Estamos atualmente na fase de acautelar a sua autonomia, tratando da alimentação, acesso à saúde, assim como de alguma burocracia e da escola das crianças.

SusanaZarro-web

Susana com o Talal, a Moshira e a pequena Fatima.

A comunidade da Nazaré mobilizou-se para recebê-los. Arranjaram-lhes o mobiliário, a roupa de cama e brinquedos para as crianças. Temos sentido desde o início que o acolhimento tem sido muito bom. A Nazaré é uma terra de turistas. Estamos habituados, desde sempre, a conviver com muitas culturas diferentes e com pessoas de outros países.

 

Como houve algum impasse inicial na vinda dos refugiados para Portugal, quando me ligaram a dizer que íamos ser uma das instituições de acolhimento achei que iria ser muito difícil, porque não sabíamos muito bem o que nos esperava, mas esta tem-se revelado uma experiência muito enriquecedora. Receber esta família e conviver com eles é perceber que são uma família como a nossa. Só muda a religião e a cultura. O amor que nos transmitem é o mesmo que nós lhes transmitimos.
Apesar de a família não ter escolhido para onde iria, dizendo que seria Deus a fazê-lo, hoje admitem que tiveram sorte em vir para cá e conhecer-nos. E nós também.space

Susana Zarro

space

ig po